Pages

Thursday, 20 March 2008

Pesada Hospitalar

Pessoal, voltei de Barcelona a cara da Penélope Cruz (I’m worth it) e com uma tendinite no pé daquelas. Passei alguns dias com uma dor infernal. Imaginei que era por ter bordejado pelas calles e ramblas de Barcelona.

A dor era tanta, que fui a um hospital. Organizei um mini-cab para me pegar em casa e tudo. No caminho, me concentro no programa de radio que estava a passar. O programa era sobre as mudanças no conjunto de leis da União Européia. Basicamente, a grande discussão era se deveria haver consulta popular ou não. O radialista estava entrevistando ouvintes e fazendo um mini debate. De repente entra no ar um John-Qualquer-Da-Vida. A primeira frase foi: Hi mate! Para quem não sabe, esse é o comprimento oficial dessa espécie. O nosso amigo ouvinte começa então a bradar com todas suas forcas que votará contra tudo que leve EU. Falou que esses europeus de m_ _ _ _ são um problema. Que houve uma guerra no passado para não deixa-los entrar aqui. Falou também que UK não era Europa, bla, bla, bla, bla. O radialista o tirou do ar na hora.

Gente, se ele tem essa opinião sobre os Europeus (vale salientar que ele não está sozinho), imagina sobre nós os habitantes da floresta (ele não deve ter a mínima idéia onde o Brasil está localizado geograficamente e deve pensar que vivemos em arvores).

Bom, cheguei finalmente ao hospital (quase peco ao motorista para dar voltas no quarteirão para ouvir mais do programa). Tento então achar a emergência. Descobri que era no primeiro andar. Será que se uma pessoa chega em estado grave tem que esperar o elevador?

Consegui me arrastar até o elevador e chegar a emergência (ninguém me ofereceu uma cadeira de rodas e não perguntou nem as horas). Fui direto ao balcão da recepcionista. Devido a leis de Health & Safety, a moca que fica atrás do vidro tem que ficar sentada e o buraco que ela fala é na altura de sua boca. Eu com uma dor infinda, baixo-me, quase acocorado, para responder perguntas tipo nome, idade, endereço, religião e sexo (em Londres, a aparência física da pessoa não é suficiente para determinar seu gênero).

Depois de responder tudo e quase morrer de dor ao voltar à posição vertical, sento-me para esperar ser atendido. Gente, o que vi foi interessantíssimo. As vezes você pensa que o hospital é em um país Árabe. O animado é quando entra um doido e começa a xingar a rainha. E o bando de Filipinos que entra porque um deles cortou o dedo! A confusão é tanta que vc espera alguém gritar BINGO a qualquer momento. Por isso, se tiverem tempo livre, passem a tarde em um hospital londrino. É uma experiência única.

Finalmente sou chamado pelo medico. Arrasto-me a sua sala com a certeza de haver encontrado o meu salvador. O Ser que iria dar-me o conforto que precisava. Na verdade, levei foi uma bronca. Caí na besteira de dizer que achava que era um problema crônico. A bronca foi por ter ido ao hospital. Ele então passou paracetamol e mandou eu procurar um medico. E eu achando que hospital era onde eles estavam. Tão ingênuo.....

Saí do hospital em depressão profunda e, obviamente, muita dor. Voltei então para minhas compressas de água quente e meus lenços de papel para as lagrimas. Resolvo ligar para o meu GP (clinica geral do bairro). Como imaginava, eles não tem atendimento de emergência. Tentei marcar uma hora para o outro dia. Não podia. A regra é: vc tem ligar marcando uma hora para ligar para marcar uma hora. Ou seja, marquei uma hora para ligar na Segunda para então marcar uma consulta. Se vc ligar para marca uma consulta sem ligar antes para dizer que vai ligar, eles não marcam. Entenderam? Nem eu…..

Que saudades do meu plano de saúde. Vocês não imaginam como é péssimo morar em um país onde o sistema de saúde pública é complicado.

Abracao.

Nelson

4 comments:

Ana Paula Cardoso said...

Nelsinho, não se iluda. Por aqui asa coisas caminham para o mesmo modelo. Agora é moda aqui no Brasil a gente ligar para o médico e a secretária dizer "o dia de marcar consulta é segunda-feira, de meia-noite às cinco da manhã", ou algo do gênero. Bjs

Luisa Helena said...

Nelson!!!! Só agora descobri que vc tem este blog (estava fuçando o teu orkut com saudades de vc)!!!! Que delícia de textos!!!! Adorei todos!!! O De portugal então... quase morri de rir... vc continua sempre bem humorado e irreverente!!!! Quem sabe vc não está se descobrindo na arte de escrever???? Beijãooo saudadesss Lu

Márcio Silveira said...

Nelsinho,

Me faz um favor? Na próxima vez leva uma câmera escondida e quando perguntarem o sexo vc responde bem sério: "female". Só isso. Depois me manda o vídeo.

Valeu,
Márcio

Elzinha said...

Nelsinho,Fiquei com peninha de vc. Quando a gente tá em outro país e adoece fica doidinho para ser cuidado. Muitos beijos.
Elzinha