Pages

Saturday, 27 September 2008

Forca Maior


Meu povo, minhas aventuras na Terra da Luz estão sendo inúmeras. Infelizmente eu não posso contar aqui no blog a maioria delas por motivo de ´forca maior´. Alguns amigos devem estar pensando: E mudou de nome? Agora chama forca maior? O fato que elas são censuradas.

Sem maiores delongas, vamos ao que interessa. Eu tenho aproveitado essa viagem para resolver coisas praticas do dia-a-dia. Como fazia mais de um ano que eu não vinha à terra da grande Raquel de Queiroz, varias coisinhas estavam pendentes: minha carteira de motorista estava vencida, meu titulo de eleitor havia sido cancelado e meu cadastro no banco precisava ser atualizado. Isso tudo sem falar na bateria de exames que fiz para checar se minha saúde é de ferro ou borracha. Como vcs devem imaginar cada empreitada dessas foi uma aventura. Hora por causa da burocracia reinante da Lulalandia, hora por causa da má vontade inerente do ser humano ou hora pela própria irreverência desse que vos escreve.

Bom, logo que cheguei fui ao Detran para renovar minha carteira de motorista. Disseram-me que era rapidinho. Como eu tinha acabado de chegar, rapidinho pra mim eram 40 minutos. Para os nativos, rapidinho significa 5 horas. Fiquei 5 horas no Detran para renovar minha carteira de motorista. O processo é interessante. Na verdade é uma verdadeira linha de produção carteiristica. Vc pega a senha para ser chamado para dar entrada e recebe um boleto para pagar as taxas. É então encaminhado para outra pessoa para pegar um outro boleto para pagar o exame medico. Com esses boletos em mãos vc vai ao banco pagar (pelo menos o banco era dentro do complexo). Com os boletos pagos vc vai a uma pessoa para entregar o boleto e receber uma guia para o exame de vista. Vai a outra área para o exame de vista. Depois vai para outra pessoa para colocar seu nome para o teste de direção que agora é obrigatório. Ela então encaminha vc à fila do exame medico que, muito cá entre nos, não tem nada de medico. Depois do exame vc vai para outro balcão para entregar uma guia de comprovação que vc fez o exame medico. Depois disso vc vai fazer o teste. Recebe uma guia de confirmação e tem que entregar em outro departamento. Espera o resultado do teste e com ele na mão vc volta ao ponto de partida para entregar a guia de confirmação. Eles então informam que a carteira vai ser entregue em 15 dias. Mas vc tem que ir a um outro departamento para pedir uma ressalva para dirigir. Vc então espera a pessoa o chamar quando a ressalva estiver pronta. Cinco horas depois, vc sai do Detran aniquilado. Não precisa nem falar que cada etapa dessa linha de produção demora uma vida e que a pessoas envolvidas no processo são de uma mediocridade que enoja. O animado é quando alguém se estressa e briga. O mais engraçado foi a moca que entrega guias. Numa dessas brigas, ela bateu no peito e falou: Eu trabalho nessa função há 10 anos e vc quer me ensinar a fazer meu trabalho? Gente, 10 anos entregando guias!!!!!

Outra aventura interessante foi quando fui a Justiça Eleitoral para resolver minha situação perante aquele órgão. Eu havia perdido 4 eleições e meu titulo havia sido cancelado. Ora, estamos em tempo de eleições para prefeito e vereadores. Pense num órgão animado. Mas justiça seja feita, pessoas muito atenciosas. O fato é que chegando lá havia uma equipe de televisão fazendo uma reportagem. Quem eles chamam para entrevistar? Seu blogueiro favorito (foi eu viu!). Dei uma entrevista daquelas. Ressaltei a importância de exercer a cidadania plena e irrestrita. Aproveitei a ocasião para usar todo o meu vocabulário de domingo. Arrebentei. O repórter perguntou se eu queria dar entrevistas sobre outros temas. Falei pra ele:

O que vc quiser! De parto de onça a atracação de navio.

Mas o bom mesmo foi na hora que estava explicando ao mesário a minha situação. Expliquei que morava no exterior e por isso não havia sufragido (para os desinformados, sufrágio é a palavra de domingo para votar). Ele então pediu copia de minhas passagens, copia de meus passaportes (velho e novo), copia de meus vistos e carimbos de entrada e saída. Pediu também que eu escrevesse uma declaração/solicitação e fosse registrar firma em cartório. Ele então iria encaminhar todo esse processo ao Juiz eleitoral que iria julgar. Isso deveria demorar meses já que a prioridade era a eleição. Fiquei zonzo. Olhei pra ele quase chorando. Ele então falou que havia uma maneira mais simples. Se eu pagasse a multa não precisava nada disso e ele me daria um certificado de quitação de imediato. Com uma dor no peito e no bolso avassaladora eu perguntei quanto era a multa. Eu, na minha completa ignorância, pensei que teria que vender meu corpo para pagar a tal multa (o que na verdade não era uma ma idéia no geral). Ele então falou que a multa era de 15 reais. Eu achei que não havia entendido. Ele repetiu. Eu perguntei se a dita cuja era 15 por eleição perdida. Na verdade, ela era 15 no total. Eu então perguntei:

Quinze? Aquele que vem depois do 14 e antes do 16?

Era ele mesmo. Vcs imaginam o que eu fiz!! Morreram os 15inhos e saí com meu certificado e situação quites junto à justiça eleitoral Brasileira.

No final, resolvi todas as pendências. A única pendência que preciso resolver agora é a depressão profunda por ter que ir embora.

Abraços

Nelson

Tuesday, 16 September 2008

Aumilhação


Meu povo, voltei!! E em clima de volta, vou fazer um post luso-brasileiro.

Se vocês não sabiam, eu estou em terras alencarinas nesse exato momento. Muito sol, muita caipirinha e, é claro, muitos corpos seminus. E viva os frescos trópicos!!!

Mas eu queria mesmo era falar sobre minha estada forcada em terras de nossos colonizadores. Pois é. Apesar de gostar muito de Lisboa dessa vez tive que passar uma noite lá contra a minha vontade. Basicamente, meu vôo de terras Elisabetanas para terras Alencarinas fazia conexão em terras Pombalinas. Como a pontualidade Britânica é algo que inglês não ver, meu vôo saiu atrasado de Borislandia. Pense numa correria para pegar o segundo vôo! A correria foi tanta que eu ouvi Carruagens de Fogo no background. Mas valeu a pena pois eu cheguei ao portão de embarque a tempo de pegar o vôo.

Mas, como alegria de quem compra passagem parcelada é pouca, qual não foi minha surpresa quando a educada, delicada, atenciosa e respeitosa rapariga pediu que eu aguardasse ao lado. Na verdade, não somente eu mas 24 outras pessoas. Sem maiores delongas simplesmente aquela airline lusitana havia cancelado nossos acentos e teríamos que passar uma noite naquela potencia do século XVI. O pior é que não havia explicação. A dita rapariga, ou melhor, o dito nariz (ela era um nariz que tinha uma pessoa) entrou em pânico. Ela tremia mais que Sobral durante o terremoto. Mas bom mesmo eram meus companheiros de fado. Tinham suíços, alemães, holandeses e cearenses. Uma das companheiras, no alto de sua sapiência e eloqüência, resumiu o que estávamos passando:

Isso e uma fulerage. To é aumilhada!!

O fato e que nos levaram para um hotel e teríamos que pegar o próximo vôo no dia seguinte. Eu não estava acreditando. Mas, como diria o outro, o que não tem remédio, morre de dor.

Como eu já estava ali mesmo e não tinha o que fazer, liguei para meu amigo JF para fazer um catch-up (sem bicos dessa vez). Saímos para jantar. E como uma boa noite portuguesa, o jantar fora regado a cerveja na entrada para abrir o apetite, vinho durante o jantar, um porto para o pós-jantar e é claro um whiskinho básico para a digestão. Sem falar do conhaque em casa de JF para fechar a noite com chave de ouro e Neosaldinas.

O fato é que acordei no outro dia com uma ressaca daquelas e um mau humor horrendo. Eu acho que o conhaque não caiu bem. Passei a manha no hotel e no começo da tarde fui ao aeroporto para pegar meu vôo. O pior eh que meu mau humor crescia exponencialmente. Meu povo, hoje eu tenho tanta pena das hospedeiras de bordo do meu vôo. Eu fiz da vida delas um inferno. O inferno foi tão grande que eu chamava as raparigas e quando elas chegavam, eu dizia: Esqueci!

Bom, cheguei finalmente ao Pinto Martins (carinhosamente conhecido como Pinto novo). A partir daí foi tudo festa e ainda esta sendo. Aguardem os próximos posts pois o aroma de rapadura que reina por aqui esta obrando milagres para a minha criatividade.

Abraços

Nelson

Wednesday, 3 September 2008

Ta perto....

Jaz faz tanto tempo, que eu deixei……de ser importante, pra vc……

Pessoal, esse eh um trecho de uma musica de uma das maiores cantoras que o Brasil jah teve…Katia.

O fato eh que essa musica resume tudo. Faz tempo que nao escrevo ou que tenho inspiracao para escrever. Imagino que meus leitores jah me abandonaram. Muito trabalho sabe. Mas nao tem problema nao. Estou zarpando pra Fortaleza esses dias e com muita praia e calor minha isnpiracao ha de voltar.

Aguardem!

Abracos,

Nelson