Pages

Friday, 9 January 2009

Berlin Revolucionaria


Não sei se vocês sabem, mas fui passar o ano novo em Berlin. Fui para lá por três principais motivos: (a) ganhei uma passagem, (b) minha grande amiga LM mora lá e (c) eu adoro Berlin. Na verdade, Berlin é uma das minhas favoritas cidades da Europa (senão a favorita). Berlin tem uma energia interessante. É uma cidade ainda em busca de sua identidade. Dessa vez tive o sentimento que essa é a identidade de Berlin. Ou seja, uma cidade em constante transformação. Berlin foi a cidade alemã que mais sofreu e tambem se beneficiou no momento certo com a unificação das Alemanhas.

Em resumo, Berlin foi a sede do império Nazista, foi loteada apos a Guerra, foi dividida radicalmente com a construção do muro e é hoje sede do governo Alemão. Sem duvida, uma cidade com uma historia interessantíssima que tambem sofreu profundas feridas durante um dos mais nervosos períodos da nossa historia moderna, a Guerra Fria. Apesar de tudo isso, Berlin resistiu bravamente e não perdeu seu caráter Revolucionário, Igualitário e Liberal. Liberal em todos os sentidos. Berlin é uma cidade onde se pode tudo e que se encontra de tudo. É uma cidade sem pudores e sem hipocrisias.

Apesar de tudo isso ou por causa de tudo isso, Berlin é uma cidade falida. A arrecadação não é suficiente para manter a cidade tendo o governo federal alemão que pagar as contas da rebelde e moderna Berlin. É a maior taxa de desemprego da Alemanha e também a cidade mais barata. Talvez seja por isso que Berlin tem vocação para as artes, cultura e prazeres. Li em algum lugar que o lema de Berlin é e sempre foi: Poor but sexy. Essa é Berlin.

Essa introdução foi para dar pano de fundo ao principal ponto. Eu já havia falado anteriormente em um outro post que a criatividade é latente em Berlin. Essa criatividade é tanta que às vezes extrapola a linha tênue do exagero. Comprova-se isso claramente nos cabelos, roupas e atitude de algumas pessoas nas ruas. Obviamente que a propaganda e o marketing também sofrem influencia dessa criatividade.

Pois bem, estava eu alegre e serelepe andando pelas ruas de Berlin a menos 18 graus centígrados quando me deparo com uma loja de móveis em promoção. Na verdade, o que mais me chamou atenção não foi nem as pecas ali expostas, mas o nome de uma cama. Eu não acreditei (foto acima). Berlin é uma cidade bilíngue onde todos falam inglês. Então, com certeza, todos sabem o significado das palavras atribuídas a cama. O choque dos primeiros segundos foi substituído por uma certeza. Berlin é uma cidade sem preconceitos, pudores ou falsos moralismos. Aquela cama tem um publico alvo e esse publico alvo faz parte de Berlin.

Por isso eu aviso aos mais desavisados, se você não tem espírito revolucionário, mente aberta, desprendimento, alma de artista e acha Paris a cidade mais interessante da Europa, não vá pra Berlin. Afinal de contas não queremos estragar essa cidade maravilhosa, não é mesmo. E viva Berlin.