Pages

Thursday, 8 April 2010

Homenagem ao Prof Cleber Aquino


“Só vou sossegar quando vir todos vocês bem
sucedidos. E ser bem sucedido hoje é ser um
cidadão do mundo!”
(Prof. Cléber Aquino)

View Nelson Gurgel's profile on LinkedIn

Cléber Pinheiro de Aquino, o Professor Cléber – como gostava de ser chamado – não foi sempre uma pessoa fácil. Se “controvérsia” fosse o seu nome do meio, isto não causaria espanto aos que tiveram o privilégio de com ele conviver. Com seu temperamento forte, o Professor não costumava levar desaforo pra casa. Tampouco fazia concessões quando seus princípios e crenças estavam em jogo. Provocador e polêmico, dotado de um senso de humor afiado e de um raro talento para a ironia, posicionava-se sempre de forma muito franca e admiravelmente destemida. Queria, como ele mesmo dizia, tirar as pessoas de sua “zona de conforto”, fazê-las enxergar mais longe, para além da realidade cotidiana e medíocre. E o fazia com a dedicação e o vigor daqueles que são apaixonados por uma causa.

Por falar em paixão, seu maior prazer como educador e consultor era cercar-se de jovens talentosos, ajudá-los a liberar todo o seu potencial criativo e questionador, vê-los “alçar voo” e crescer como seres humanos, cidadãos e profissionais, unindo uma formação intelectual sólida e rigorosa ao conhecimento das coisas práticas. Queria ver seus pupilos desabrocharem como “cidadãos do mundo”, capazes, para usar as suas palavras, de se virarem “no seco e no molhado”. Sonhava com a formação de intelectuais sem frescuras,por assim dizer, cidadãos integrais, pensadores e realizadores ao mesmo tempo, dotados de uma ambição positiva que aliasse desenvolvimento pessoal e contribuição relevante para a sociedade, mediada pelo desejo de aprender sempre mais, até o fim. Quando estava neste ambiente, via-se um homem feliz e entusiasmado, trabalhando por amor, um amor que transbordava para os seus pupilos e os contagiava com o mesmo vírus da inquietação e do questionamento perenes.

Cléber Aquino era também um homem sociável e extremamente afável com as pessoas que admirava. Gostava de ajudar os jovens nos quais enxergava potencial e o fazia de forma desprendida, como quem ajuda um filho. Desconfiava do ser humano, mas era, ao mesmo tempo, malgrado o seu ceticismo e arraigado espírito crítico, profundamente humanista. Motivado por seu amor ao mundo das ideias e à juventude, plantou em cada um de nós, seus discípulos, férteis sementes que deram e darão muitos frutos. Pensando bem, Professor Cléber, a palavra “generosidade” cairia muito melhor como o seu nome do meio.

Com eterna gratidão de seus alunos.
Alexandre Di Miceli
Camila Morais
Carolina Veríssimo
Cláudio Barreira
Daniel Baima
Eduardo Leite
Fábio Vieira
Gustavo Meneses
Júlio Leite Lucas Barros
Luis Carvalho
Luís Fernando Rodrigues
Heber Pessoa
Henrique Castro
Humberto Halliday
Márcio Fábio
Nelson Gurgel
Paulo Lemos
Rafael Figueiredo
Rinaldo Cavalcante
Roberto Guimarães Jr.
Stênio Accioly
Valério Menescal
Victor Santos

No comments: