Pages

Thursday, 23 December 2010

Tasks de final de ano

    View
Nelson Gurgel's profile on LinkedIn

Final do ano chegou e começou aquela novela de mandar cartões de natal e presentes para clientes. Todo ano é a mesma coisa. Um pilha de cartões em cima da mesa e assinaturas mil. Quando não, os estagiários entram no jogo. No final não sei nem quais cartões eu assinei. Ainda bem que não trabalho em uma empresa de cartões pois acho essa coisa de cartão muito sem futuro.

Esse ano resolvi fazer diferente.  Reduzi o numero de cartões e enviei somente a clientes/prospects que eu realmente mantive algum relacionamento em 2010, aqueles que não tive relacionamento mas gostaria de ter tido e aqueles que quero ter algum tipo de relacionamento (comercial, claro!).

No ano passado acho que mandei mais de 300 cartões. Esse ano mandei 50. No ano passado não recebi sequer um emailzinho agradecendo o cartão. Essa ano já recebi 12 . Ou seja, qualidade é mais importante que quantidade nesse caso.

Pondo esse debate entre quali e quanti (parece até pesquisa) de lado por um momento, eu  acredito que os emails que recebi foram por causa das mensagens. Eu escrevi algo relevante e em muitos casos algo relacionado com a minha relação (comercial) com aquela pessoa ou empresa. Ficou claro que o cartão havia sido personalizado e penso que isso fez a diferença. As pessoas reconheceram que meu cartão não veio de um linha de produção, principalmente porque seria mais facil mandar um ecard.

Para ter mais insights sobre esse ‘fenômeno’, aconselhei alguns colegas a fazerem o mesmo. Alguns deles toparam o ‘desafio’ e escreveram mensagens personalizadas em alguns cartões. Todos os que assim fizeram receberam pelo menos um email de agradecimento. E os que não fizeram? None!

Quanto a presentes para clientes, esse ano tambem fiz diferente. Todos os anos mandamos chocolates, vinhos, vouchers etc etc etc. Essa ano resolvemos ajudar instituições e fazer a doação em nome do cliente. Até aí tudo bem. Muita empresa tem feito isso. A diferença é que não serão presentes de natal mas presentes de ano novo desejando aos clientes um excelente inicio de ano e que se estenda por todo 2011.

Ora, as pessoas tentam fugir da conotação religiosa do natal desejando Happy Holidays ou Season’s Greetings mas no final das contas o natal e até mesmo o ano novo são festividades cristãs e/ou ocidentais. Em um país como o Reino Unido e mais precisamente em uma cidade como Londres onde mais de 30% da populacao é formada por estrangeiros e minorias étnicas, a gama de religiões, crenças e costumes é imensa e os ‘holidays’ não fazem muito sentido. Mas um ponto que todos tem em comum é o desejo de um novo ano mais próspero que o anterior. Enviaremos esses certificados de doação com uma mensagem em Janeiro. Vamos ver o resultado.

No final, o que eu queria mesmo ressaltar é que precisamos fugir dos lugares comuns e, apesar de termos que seguir certas convenções, podemos e devemos quebrá-las quando possível. Que coisa mais irritante aqueles cartões de natal com frases prontas e uma assinatura de médico! Que coisa mais inconveniente aquela caixa de chocolates Godiva divina quando você não quer engordar nesse final de ano! Tente, invente, faça uma ação diferente! (espero não ser processado por plágio. Haha).

No comments: